12. Monografia – Os Chapins

Em Portugal designamos por Chapins um conjunto de espécies de pequenas aves, algumas delas muito comuns, de aspecto geralmente rechonchudo e com o bico curto.

Não correspondem a uma única família ou género na classificação científica da ordem dos passeriformes, ainda que muitos pertençam à familia paridae.  São apenas uma designação da linguagem comum, tanto em português como no inglês “Tits”. Já em espanhol não existe uma palavra que englobe todos os nossos chapins.

Têm um comportamento irrequieto  e é comum encontrá-los em posição invertida pendurados de patas para o ar ou noutras posições acrobáticas.

São das aves mais fáceis de ver e de fotografar. A maior dificuldade resulta talvez de estarem sempre em movimento saltitando constantemente de ramo para ramo.  São aves que frequentam os bosques e as zonas arborizadas, com excepção do Chapim-de-mascarilha e do Chapim-de-bigodes que preferem os caniçais.

Em Portugal temos seis espécies de Chapins:

Chapim-azul – cyanistes caeruleus;

Chapim-real – parus major;

Chapim-de-poupa – lophophanes cristatus;

Chapim-carvoeiro – periparus ater;

Chapim-de-mascarilha – remiz pendulinus;

Chapim-rabilongo – aegithalos caudatus;

Em Espanha podem observar-se mais duas espécies:

Chapim-palustre – poecile palustris;

Chapim-de-bigodes – panurus biarmicus.

Chapim-azul

O Chapim-azul, Blue Tit, herrerillo común – cyanistes caeruleus, identifica-se facilmente pela por uma mancha azul no topo da cabeça, corpo amarelado e asas azuladas.  Tem cerca de 11 cm de comprimento.

Os sexos são quase idênticos, com o macho de colorido um pouco mais vistoso.

Chapim-azul
Chapim-azul
Chapim-azul
Chapim-azul
Chapim-azul
Chapim-azul
Chapim-azul
Chapim-azul
Chapim-azul
Chapim-azul
Casal de Chapim-azul

Chapim-real

O Chapim-real, Great Tit, carbonero común, parus major, como o nome indica é o maior dos nossos chapins, com cerca de 14 cm de comprimento.

Peito amarelo com barra central preta, cabeça preta e branca e dorso esverdeado. A barra central preta é mais larga nos machos.

Chapim-real
Chapim-real
Chapim-real
Chapim-real
Chapim-real
Chapim-real
Chapim-real
Chapim-real

Chapim-de-poupa

O Chapim-de-poupa, Crested Tit, herrerillo capucino, lophophanes cristatus é um residente comum. Trata-se de um pequeno chapim, com cerca de 11 cm de comprimento, que é facilmente reconhecível por ostentar uma poupa em bico. De destacar os característicos olhos vermelhos e pretos.

Chapim-de-poupa
Chapim-de-poupa
Chapim-de-poupa
Chapim-de-poupa
Chapim-de-poupa
Chapim-de-poupa

Chapim-carvoeiro

Com a cabeça preta com uma coroa branca e de cor pardacenta, tem  cerca de 11 cm de comprimento. O Chapim-carvoeiro, Coal Tit, carbonero garrapinos, periparus ater  é um residente comum.

Chapim-carvoeiro
Chapim-carvoeiro
Chapim-carvoeiro
Chapim-carvoeiro
Chapim-carvoeiro

Chapim-rabilongo

Chapim-rabilogo, Long-tailed Tit, mito común, aegithalos caudatus, é um chapim que se destaca pela cauda muito longa, que é mais comprida que o resto do corpo. No total tem 14 cm de comprimento. Visto de perto sobressai uma “sobrancelha” amarela. É um residente comum que frequenta, em pequenos grupos, as zonas arborizadas.

Chapim-rabilongo
Chapim-rabilongo
Chapim-rabilongo
Chapim-rabilongo
Chapim-rabilongo

Chapim-de-mascarilha

Chapim facilmente reconhecível pela mascarilha preta, maior e mais escura no macho do que na fêmea. O Chapim-de-mascarilha, Peduline Tit, pájaro moscón, é um habitante dos caniçais e da vegetação à beira dos pântanos, mas que necessita de aceder a árvores para construir os ninhos em forma de bolsa.

Tem cerca de 11 cm de comprimento. É um invernante pouco comum em Portugal.

Chapim-de-mascarilha macho

Chapim-de-mascarilha macho
Chapim-de-mascarilha macho
Chapim-de-mascarilha macho
Chapim-de-mascarilha macho

Chapim-palustre

Chapim-palustre, Marsh Tit, carbonero palustre, poecile palustris, é uma espécie de chapim que não existe em Portugal. Em Espanha é um residente relativamente comum na zona norte.

É semelhante ao chapim-carvoeiro, mas de cor mais cinzenta, sem a zona branca no meio da mancha negra da cabeça e com um “babette” menor. É extremamente irrequieto.

Chapim-palustre
Chapim-palustre
Chapim-palustre
Chapim-palustre
Chapim-palustre
Chapim-palustre

Chapim-de-bigodes

Uma outra espécie que não existe em Portugal e é pena. Trata-se de uns passarinhos engraçadíssimos. O Chapim-de-bigodes, Bearded Tit, bigotudo, panurus biarmicus tem um comprimento de cerca de 13 cm, isto é de dimensões ligeiramente menores que o chapim-real mas tendo uma cauda maior. De tons cinzento, laranja, castanho, preto e branco; tem olhos amarelos e pretos e o macho apresenta um grande bigode preto, que dá origem  ao nome. A fêmea não tem o bigode e tem um colorido mais discreto. Saltitam permanentemente nos caniçais onde habitam, chegando e partindo, por revoadas e pousando nos caniços em posições acrobáticas muito carcterísticas. É uma pequena ave espectacular.

Chapim-de-bigodes macho
Chapim-de-bigodes macho juvenil
Chapim-de-bigodes fêmea
Chapim-de-bigodes fêmea
Chapim-de-bigodes macho
Retrato de um Chapim-de-bigodes macho
Chapim-de-bigodes macho
Chapim-de-bigodes macho
Chapim-de-bigodes macho
Chapim-de-bigodes macho
Chapim-de-bigodes macho
Chapim-de-bigodes macho
Chapim-de-bigodes macho
Chapim-de-bigodes macho
Chapim-de-bigodes macho
Chapim-de-bigodes fêmea
Chapim-de-bigodes fêmea
Chapim-de-bigodes macho

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *