10. Mononografia – Os Tartaranhões

Os Tartaranhões são aves de rapina elegantes de médio porte. São pequenas águias ou aguiluchos como dizem em Espanha. São aves da família das acccipitriformes e do género circus. Tendem a caçar voando, por vezes a baixa altitude ou junto ao solo, com as asas com as pontas levantadas formando um V.

Em Portugal temos:

  • Circus aeruginosus – Tartaranhão-ruivo-dos-pauis ou Águia-sapeira (aguilucho lagunero);
  • Circus pygargus – Tartaranhão-caçador ou Águia-caçadeira (aguilucho cenizo).
  • Circus cyaneus – Tartaranhão-cinzento (aguilucho pálido);

Também ocorre por vezes o circus macrourus – Tartaranhão-pálido (aguilucho papialbo).

Águia-sapeira

É o maior dos nossos Tartaranhões com até 135 cm de envergadura.

Com claro dimorfismo sexual, os machos são tricolores, castanho, cinzento e preto. Têm os olhos de um amarelo vivo. As fêmeas e os juvenis são cor de chocolate com zonas da cabeça brancas ou amareladas.

Águia-sapeira macho
Águia-sapeira fêmea

Esta espécie caracteriza-se por uma grande variedade de plumagem com aspecto diferente consoante o sexo e a idade e grande variedade de exemplar para exemplar.

Águia-sapeira
Águia-sapeira
Águia-sapeira
Águia-sapeira

Frequentam zonas húmidas com vegetação palustre e caçam em caniçais, sapais, arrozais, etc. A alimentação é variada e oportunista, constituída por pequenos animais terrestres ou aquáticos e mesmo restos de animais mortos.

Águia-sapeira fêmea
Águia-sapeira fêmea
Águia-sapeira juvenil
Águia-sapeira macho
Águia-sapeira fêmea

As águias-sapeiras são residentes e nidificantes em Portugal, ainda que haja início de aumento da população durante os períodos de passagem migratória e no Inverno.

Águia-sapeira macho
Águia-sapeira macho
Águia-sapeira macho
Águia-sapeira macho
Luta entre um macho e uma fêmea de Águia-sapeira
Águia-sapeira macho
Águia-sapeira
Águia-sapeira
Águia-sapeira macho
Águia-sapeira fêmea.

 

Águia-caçadeira

O macho é cinzento e preto com manchas avermelhadas no ventre. A fêmea é acastanhada com riscas e com um evidente desenho facial. Os olhos são amarelo vivo.

Águia-caçadeira macho
Águia-caçadeira macho
Águia-caçadeira fêmea com uma presa acabada de capturar

É uma visitante estival no nosso país onde nidifica. Os ninhos são feitos no solo, às vezes no meio das cearas. Felizmente, com a actual consciência ambiental, os lavradores desviam as grandes ceifeiras debulhadoras para os evitar. Foi este o caso. O ninho foi protegido e os filhotes salvos e criados. De longe, para evitar perturbar as crias e a sua alimentação, pudemos seguir este processo durante alguns dias.

Filhotes de Águia-caçadeira no ninho
Águia-caçadeira fêmea

Pelo que pudemos assistir, pelo menos nesta fase de desenvolvimento, é essencialmente a fêmea a alimentar os filhotes no ninho, mas repetidas vezes, é o macho que caça, para depois entregar a presa à fêmea que a leva para o ninho. As presas que observámos eram aves (talvez codornizes ou trigueirões).

Águia-caçadeira fêmea leva uma presa para o ninho
Águia-caçadeira fêmea
Águia-caçadeira macho
Águia-caçadeira fêmea

 

Tartaranhão-cinzento

Esta espécie é ligeiramente maior que a Águia-caçadeira.

O macho é de cor cinzenta e preta com o peito branco. A fêmea tem tons castanhos e é semelhante à fêmea da Águia-caçadeira. É uma espécie rara como nidificante no Norte de Portugal. Durante o Inverno é mais abundante e estende a sua presença a todo o país.

Tartaranhão-cinzento fêmea
Tartaranhão-cinzento fêmea

 

Tartaranhão-cinzento fêmea
Tartaranhão-cinzento fêmea
Tartaranhão-cinzento fêmea
Tartaranhão-cinzento fêmea

O macho desta espécie não quis baixar para se deixar fotografar. Foi pena.

De outra vez teremos mais sorte.

 

Tartaranhão-pálido

O Tartaranhão-pálido tem aparecido em Portugal na Ponta da Erva e há quem tenha conseguido excelentes fotos.

Nós o melhor que conseguimos foi uma imagem distante de um macho juvenil. Aqui fica a foto ainda que a qualidade não seja grande.

Tartaranhão-pálido macho juvenil.

 

1 comentário em “10. Mononografia – Os Tartaranhões”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *